Translate

sábado, 31 de março de 2012

Sol

O sol nasceu quentinho
"Vindo direto do Japão"
Cobrindo nossa casa devagarinho
Nesse 'mar' de imensidão

Por Mariane N. Souza

sexta-feira, 30 de março de 2012

Poema de cada qual

Faço este poema de cada qual
Sem rimas
E mesmo assim elas me prendem
Em um pedaço de papel
Que não sei ao certo
Para onde vai
Mas vai em mim, só em mim
Atinge o inatingível
De tão longe
Que não vejo.

Eu faço este poema de cada qual
Para mostrar que
Cada qual pode
Fazer, ser e sentir
Como cada qual
Sendo eu mesmo
Você mesmo e ele mesmo
Cada um é cada um
Cada qual é cada qual


Por Mariane N. Souza e André Luciano de Oliveira


quinta-feira, 29 de março de 2012

O poder do sorriso

Existem várias formas de se sorrir
Estamos sempre buscando maneiras
Para demonstrar nossos sentimentos.

Um abraço, um olhar,
Um beijo, um falar,
Um grito de horror,
Um grito de felicidade,
Mas uma das melhores
Formas de demonstrar
Sentimentos é, nada mais nada menos,
Que sorrir.

Um sorriso abala corações
Modifica opiniões,
Um sorriso torna o pobre
A mais rica criatura
Tira o rico da moldura
Proporciona-nos indescritíveis
Emoções!

O sorriso é o mais
Curioso agir humano
É só movimentar seus lábios
E pronto já está sorrindo,
Porém nem todos praticam
Esse exercício lindo.

Todos temos o poder
Do sorriso
Alguns tão maravilhosos
Que nos sentimos no paraíso.

O sorriso mistura razão e emoção
Algumas vezes um sorriso
Balança nossa mente
Tira a tristeza do descontente
E enche de alegria seu coração.

O sorriso é isso
É a felicidade sem
Compromisso
É o gesto da emoção.
Por Mariane N. Souza



Ter amigos...

O que é ter amigos?
É você sentir medo e ao mesmo tempo sorrir
É conseguir falar, sem pronunciar uma palavra
É estar ao lado mesmo estando longe
É lembrar de momentos e rir sozinho e às vezes ser até mesmo chamado de louco
É conseguir brigar e terminar com um abraço forte

Ter amigos...
É sentir que lá você tem um conforto
É emprestar sua motocicleta e ainda correr atrás dela para não te deixar cair
É correr de cachorros, caminhões, postes sem luz
É seguir o caminho errado e ter alguém para te dar um tapa na hora certa

Ter amigos...
É olhar pela janela, ver o céu azul e pensar: _Para onde iremos hoje?
É assistir filme comendo pizza com pão de queijo, refrigerante e café com leite
É sentir o perfume novo
É brincar de jogo da memória, mesmo não querendo...

Ter amigos...
É na hora da tristeza fazer piadinhas
É dar gargalhadas de piadas sem graça
É ouvir aquela música chata
É contar estrelas, segredos e medos

Ter amigos...
É conhecer pessoas especiais
É fazer de um simples dia o mais incrível
É ter medos e confortar
É ser o super herói na hora do desespero

Ter amigos....
É.... Não ter palavras para terminar...
Porque nem todas as palavras do mundo caberiam nesse simples textos, para explicar o que é TER AMIGOS.

Por Mariane N. Souza

sexta-feira, 23 de março de 2012

Encontro 'Marcado'

O horizonte esconde histórias, de reis rainhas, princesas e príncipes que se aventuraram por amores impossíveis e jamais acreditados. Histórias marcantes que fizeram senhores e senhoras, homens e mulheres, adultos, jovens e crianças chorarem. Não foi Cleópatra, nem Júlio Cezar, muito menos Romeu e Julieta, foram jovens casais apaixonados que deram suas vidas por um “Felizes para Sempre”. 
Na terra onde o namoro era virtual e pessoas se apaixonavam por fotos editadas no photoshop não era diferente, atrás das montanhas feitas no paint e coloridas com cores quentes do próprio programa, palavras ocultas viviam passeando por telas e teclados de mentes abertas e maliciosas, mas que no fundo guardavam um amor sincero e bonito, assim como de casais de novela mexicana. 
Foram anos e anos sonhando com aquelas palavras trocadas por e-mail e redes sociais, apaixonados por expressões jamais ouvidas ou pronunciadas pelas próprias bocas movidas por mentes sadias e sonhadoras. Cada letra escrita e lida, cada código digitado, cada foto compartilhada, cada música enviada, sonhos compartidos. Casas compraram, filhos tiveram, segredos trocaram... Uma vida construída atrás daquela tela. Noites de carência, saciadas por um sonho dividido entre dois mundos diferentes. 
Brigas ocorreram, por festas acontecidas, gírias ela aprendeu, poesias ele leu, livros leram juntos, filmes por webcam, músicas por fones de ouvido... Tudo na Era Digital, um amor verdadeiro separado pela distância de uma rede telefônica ou de um quarteirão. 
Numa noite estrelada um casal se encontra na esquina de suas casas. O homem de veste esporte caminhando sem direção, a moça de vestido simples passeando por aí. De repente dois olhares encontrados pelo cupido, eram aqueles que pelo computador trocavam juras eternas de amor, dias e noites atrás daquela surrealidade. Nunca se viram, nem se sentiram, só fotos, vídeos e letras, perdidas em mesas e escrivaninhas e descobertas que estavam logo ali. Juntos pelo acaso, encontrados pelo destino. Menino e menina abraçados, beijos e abraços trocados e deparados pelo ínfimo encontro complexo e desconectado, encoberto por uma esquina. 

E assim acaba a história, não era Eduardo e Mônica, mas aqui cabe o nosso saudoso Renato Russo “Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?”.

Ah! E os dois viveram felizes, com tropeços e brigas, para sempre.

Por Mariane N. Souza



Do poeta a poesia

Na sutileza dos versos
O poeta canta ao escrever,
Seus sonetos, trovas e poesias
Só acabam ao esmaecer

Madrugadas frias
E luas fortes
Inspiram o simples poeta
Escrevendo sobre a morte
“Sonhando” como um profeta

Na mão direita uma caneta
Sobre a mesa um papel
Ali ele voa longe
Viagens longas pelo céu

Num instante surgem versos
Em segundos vão embora
Olhos parados e submersos
A espera de outra aurora

Dias se passam
Noites de insônia
Copos por todos os lados
Ideias chegam sem cerimônia
Fazendo barulho no ambiente calado

Assim “vive” um poeta
A mercê de suas rimas
Sustentando sua meta
Como um artista de pantomima.



Por Mariane N. Souza


segunda-feira, 19 de março de 2012

Carta à Ansiedade

Para: Ansiedade

Oi ansiedade como vai? Espero que mais calma! Gostaria de lhe contar algo e também fazer um pedido. Eu estou à espera de um telefonema e uma boa notícia que pode acontecer hoje ou até o início do próximo mês, só que não quero sua presença dessa vez, ansiedade. Quero esperar calmamente, tranquila, sem muito "desespero", talvez, se você aparecer, pode ser que a oportunidade ou o telefonema não chegue ou não aconteça, pode ser até mesmo que dê tudo errado e do fundo do meu coração, não quero que isso aconteça. Então lhe peço encarecidamente ansiedade que você não me procure durante o final desse mês, vá para outros lugares, já enviei uma carta ao medo, à negatividade e agora estou lhe mandando também. Contudo convidei a sorte, o otimismo, pensamentos positivos e Deus, o meu convidado de honra. Bom ansiedade, espero que me compreenda e não se desespere ao ler essa carta, mas, pretendo, aos poucos não tê-a mais como companhia. Agradeço todas as outras vezes que esteve comigo, mas não a quero mais. 

De sua ex-companheira: Mariane.

Por Mariane N. Souza

quinta-feira, 15 de março de 2012

Grades passageiras

Estou presa, 
Como um pássaro na gaiola.
Tento fugir pelas frestas,
Mas não consigo
Elas me sufocam.
Bato, empurro, chuto,
E nem balançam.
Olho pra os lados, desesperada
_Socorro!
Ninguém me vê, nem escuta...
Estou com medo,
Está escuro
Quero ir pra casa 
Abraçar minha mãe
Ouvir sua voz
Chorar no seu colo,
Mas não consigo
Tento gritar por seu nome,
Mas não sai, está tudo parado
Minha voz está sumindo
Chamo, clamo por piedade
Por ajuda, mas não
Ninguém me vê nem me ouve.
Sento-me na gaiola
Com a cabeça entre as pernas
E choro.
Está tudo tão distante, tão escuro
Não vejo ninguém, somente sujeira
Móveis velhos, panos...
Quero minha casa
Quero minha família
Quero minha voz
Quero minha vida
Minha felicidade
Então sussurro:
_Socorro, estou presa no meu coração.

Por Mariane N. Souza

Alucinações

Sinto
Penso
Lembro
Choro
Grito
Corro
Sento
Desabo...
Acordo e o pesadelo continua...
Por Mariane N. Souza

quarta-feira, 14 de março de 2012

Otimismo

Ontem, hoje
Amanhã talvez
Só sei que vai acontecer

Por Mariane N. Souza

sábado, 10 de março de 2012

Assassinato

Na sombra do beco
Os passos condenam
O estrondo medonho

Mariane N. de Souza

Folhas caem
No balanço do vento
Que sopra devagar

Por Mariane N. Souza

quinta-feira, 8 de março de 2012

Às Mulheres

Há tempos que não posto artigos aqui, mas hoje irei postar um em homenagem as mulheres. Feliz Dia Internacional das Mulheres.


Após muita luta e reivindicações, hoje as mulheres têm os mesmos direitos que os homens, ou melhor, tenta tê-los, porque cá entre nós, não é e nunca foi igual. Porém se formos refletir bem sobre essa grande conquista a mulher, hoje, tem o triplo de responsabilidades que os homens e pensando dessa forma podemos entrar em um consenso: a mulher conseguiu ser reconhecida pela sociedade, mas essa conquista gerou muito mais responsabilidade e desconforto em algumas situações. 
Para chegar nos dias de hoje a mulher passou por diversas fases, teve épocas em que a única coisa no qual ela servia era para ter filhos, outras vezes sua função era cuidar do lar, houve tempos em que as gordinhas eram “veneradas” e admiradas pelos homens, por sinal de beleza, saúde e dinheiro. “Se são gordinhas é porque comem bem e se comem bem é sinal de que tem dinheiro”, injustiça isso, não acham? Pois é, a mulher não tinha direito algum sobre seu esposo e perante a sociedade, não votavam, não expressavam o que pensavam, casavam cedo, eram submissas, faziam o que os homens mandavam. Em uma família, enquanto o irmão aprendia a trabalhar, a mulher ficava em casa aprendendo a bordar, cozinhar e todas essas “coisas de menininha”. Não existiam mulheres advogadas, nem médicas, nem nada... diziam que sua importância na sociedade era ínfima “lugar de mulher é em casa, na beira da pia, do tanque e ao lado dos filhos, trabalhar é para homens” e assim foi por muitos e muitos anos. Há alguns anos passou na Rede Globo uma minissérie chamada “Maysa” onde contou a história de uma das mulheres mais marcantes da década de 30. Ela desafiava tudo e todos, na época as mulheres só podiam se vestir com vestidos e saias (significava feminilidade), porém Maysa vestia calças, não podiam cantar nem fumar e ela como sempre os faziam. Marcante, independente e desafiadora, Maysa usava e abusava dos homens de sua época, se tornando ícone no Brasil e no mundo. Joana D’arc foi outra que deixou rastros de coragem e ousadia, mostrando que mulheres também sabem lutar. Chegamos ao século XXI, onde nós, mulheres, temos direito de ir e vir como um homem, podemos trabalhar, votar, nos expressar, assim como os machos, temos até mesmo líderes de nações, nos representando no poder. Há mulheres na marinha, aeronáutica, médicas, advogadas, delegadas, deputadas, vereadoras, prefeitas, cantoras, escritoras, existem até mães que já viraram pais, vê se pode? E nem por isso a mulher deixou de ser feminina - com exceções é claro - não deixou de ser mãe, nem dona de casa, muito menos cuidar do esposo. Posso dizer que fazem isso até com mais perfeição que antigamente. A mulher conquistou seu espaço sem deixar de sem mulher. 
Enfim, hoje é o Dia Internacional da Mulher, dia de receber flores e ser bem tratada por aqueles que nos completam. Mesmo com essa “briga” que existe entre o sexo masculino e o feminino, sobre um ser mais que e outro, um saber mais que o outro e blá blá blá... Temos que convir que o homem não vive sem a mulher, assim como nós também não vivemos sem eles, mesmo os machistas e as feministas discordando disso tudo precisam pensar que para que ele ou ela estivesse no mundo teve que haver um casal completando o outro. Não importa se é magrinha, gordinha, branca, negra, baixa, alta, rica ou pobre, todas têm os mesmos direitos e deveres também. Eu como mulher, espero que a cada dia nós consigamos conquistar muito e muito mais respeito e tudo que merecemos.

Mariane N. Souza

quarta-feira, 7 de março de 2012

Proletário

Trabalhar
Trabalhar
Trabalhar...

Mas um dia se passa
E aqui estamos, a trabalhar

Se trabalho não existisse
Eu iria reclamar!
Quero até a minha velhice
Trabalhar e prosperar.

Prosperar e prosperar
A cada dia mais um pouco
Não se engane, não sou louco
Só gosto de trabalhar.

Sei que não sou ferramenta,
Mas gosto de ser útil
Acho muito fútil
Aquele que só argumenta

O que adianta só falar
E de nada valer
Fica o dia a reclamar
Procurando só lazer.

Descansar é uma coisa boa
Mas do que me sustentaria
Ficar em casa noite e dia
Deitado, só atoa?

Não há o que questionar
É o trabalho que nos movimenta
Se parar de trabalhar
O problema só aumenta

Por isso digo e repito:
Vamos parar de reclamar
Vamos "pro" agito
Comece a trabalhar.

Por Mariane N. Souza









quinta-feira, 1 de março de 2012

Saudade

Sinto falta do seu carinho
De beijar a sua boca
Te abraçar devagarinho
Amassando sua roupa

Voltar a sentir seu cheiro
De perfume bem suave
Levá-lo por inteiro
Para a minha "astronave"

Astronave de sentimento
Feita de algodão
Onde me escondo no momento
Em que bate a solidão

Entendo que o destino
Separa almas carentes
Mesmo sendo meu desatino
Mantenho-me sempre assente

...



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...