Translate

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Fim de tarde

O sol vai embora
Com o fim de mais um dia
A tarde que sai agora
Recebe a noite de lua fria

Por Mariane N. Souza

Aos 29 dias de fevereiro

Girando em volta do sol
Vai a terra a trabalhar
365 dias se vão
Para o ano finalizar

Mas de 4 em 4 anos
Recebemos mais um dia
Que nos visita em fevereiro
Reservando sua estadia

Bissexto como é chamado
Acontece esse ano
Sendo muito esperado
Por todo o ser humano

Por Mariane N. Souza


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

No "silêncio" da noite
O som das estrelas 
É a única música

Por Mariane N. Souza

Fúnebre

Na sombra das árvores
Os pássaros avisam
A morte do Mártir

Por Mariane N. Souza

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Um coração solitário

Caminhando pela areia e conversando com as estrelas, percebo que bem ao longe há um homem sentado, olhando para o mar e na sua face lágrimas caem. Fico olhando por algum tempo e aquele homem continua do mesmo jeito sem movimentar um músculo. Resolvo ir até ele e perguntar o que tanto o afligia.
Aprendi que quando alguém está triste nada melhor que um ombro amigo para ajudar.
Andei até ele e me sentei ao seu lado. Cumprimentei-o e me apresentei. Recebi um oi de retorno e seu nome. Perguntei se poderia ficar ao seu lado ou se poderia ajudar.
Ficamos sentados um ao lado do outro sem ao menos uma palavra ser pronunciada. Dois estranhos sentados à areia, apenas o som das ondas do mar. Por um momento pensei que fossemos ficar daquele jeito a madrugada toda, mas quando eu menos esperava palavras surgiram de sua boca.
Ele: _Você vem sempre aqui? - Suas lágrimas não caiam mais.
Eu: _Não, passei por aqui por um acaso, estava calor para ficar em casa e precisava refletir um pouco.
Ele: _Você já sofreu por algo que sabe que é para não causar mais sofrimentos?
Não entendi a pergunta, mas respondi: _Acredito que não.
Ele: _ Você tem família?
Eu: _Sim, tenho e você?
Ele: _Não!
Eu: _O que aconteceu com eles?
Ele: _ Eles quem? Minha família?
Eu:_ Sim!
Ele: _Os perdi!
Eu: _Perdeu?
Ele: _Sim!
Eu: _Vamos encontrá-los então! Eu te ajudo! - Disse toda animada, querendo ajudá-lo.
Não esperava ouvir o que ouvi.
Ele: _ Não, nunca iremos encontrá-los. Não estão mais aqui nesse mundo.
Arrepiei-me ao ouvir aquilo. Você já se imaginou sem sua família? Então perguntei:
Eu: _Mas o que aconteceu com eles?
Ele: _Acidente!
Eu: _Acidente? Acidente do que?
Ele: _Sim, acidente! Íamos para uma viagem de férias. No dia da viagem precisei ficar até mais tarde no trabalho e eles foram sem mim. Eu iria depois que saísse da empresa.
Eu: _E o que aconteceu?
Ele: _Durante a trajetória eles colidiram de frente com um caminhão que transportava combustível, os dois explodiram e minha família faleceu, assim como o motorista do caminhão.
Fiquei horrorizada com o que havia acabado de ouvir. Minhas palavras sumiram agora as lágrimas que caíam eram as minhas. Ele continuou:
_Minha mulher era incrível. Ela esperava um menino, estava de 02 meses. Minhas outras filhas eram gêmeas, tinham 08 anos. Estavam na 3ª série. Muito carinhosas comigo e com minha esposa, risonhas, muito inteligentes e dedicadas. Respeitavam-nos demais. Tinham vários amiguinhos que sempre iam lá em casa. Todo final de semana era a Cine Sexta, como elas diziam. Assistíamos vários filmes juntos e comíamos muita pipoca. Foram fins de semana maravilhosos. - Ele voltou a chorar, mas com um sorriso suave em seu rosto - Minha vida era perfeita. Quando fiquei sabendo que ela estava grávida de um menino, quase explodi de alegria. Ela era Linda, uma esposa e uma mãe espetacular. O dia do nosso casamento foi o melhor da minha vida. Nossa vida melhorou muito mais depois que as gêmeas nasceram. As mais lindas garotinhas que já havíamos visto até aquele dia. Demos muito amor àquelas crianças. Cada segundo ao lado das mulheres da minha vida foram inesquecíveis, cada sorriso, cada palavra, cada olhar. Não existe amor maior que o que eu sinto por elas.
Eu: _Quando isso aconteceu?
Ele: _Duas semanas atrás!
Assustei-me com a resposta. Tão pouco tempo. Ele era muito forte em conseguir contar aquilo. Eu não conseguiria.
Ele: _Minha vida perdeu o sentido após essa tragédia. Se não fosse Deus não sei o que faria. Perdi meus pais com 10 anos. Morreram soterrados após uma semana de chuvas fortes. Nunca conheci meus avós, mamãe dizia que eles a abandonaram quando pequena. Papai não falava dos pais dele eu não sabia nem o nome dos meus avós paternos. Não tive tios nem primos, pois meus pais eram filhos únicos, assim como eu. Dos 10 anos em diante aprendi a viver sozinho. Até encontrar Dominique, a minha esposa, e construir com ela minha família. -Seu choro já havia cessado - E Deus os tirou de mim também. Mas, sabe, eu tento aceitar esse fato. Tenho alguma missão para cumprir nesse mundo ainda. Algo que devo fazer sozinho. Primeiro Deus tirou meus pais, agora minha esposa e meus três filhos. Deixando-me aqui sozinho. Ele deve ter um propósito muito grande para mim e que com toda certeza devo cumprir sozinho.
Estava fascinada com a forma que esse homem via o mundo e as tragédias horríveis que tinham acontecidos com ele, sua Fé nunca acabara era mais forte que qualquer dor do mundo e ele aceitava os fatos sem se revoltar com Deus. Acreditando em um amanhã melhor.
Conversamos por um longo tempo olhando para o horizonte. Observado o mar. Vimos à lua indo embora descansar e o sol acordando. Demos bom dia a ele. Levantamos e fomos embora. Tornamos-nos amigos e continuamos com essa amizade até ontem. Ele faleceu. Nossa amizade durou cinco anos. Uma semana antes de sua morte entendi o porquê da visão que ele tinha dos fatos que aconteceram durante seus trinta e cinco anos. Meu amigo havia descoberto que tinha câncer um mês antes da morte da sua família. E sabia que eles sofreriam muito se os deixasse sozinhos aqui. Então quando Deus os levou, ele sabia que era para poupar sofrimentos futuros e que quando fosse também os encontrariam lá ao lado do Todo Poderoso.
Fiquei sabendo dessa doença uma semana antes da sua morte. Na noite que se foi eu estava ao seu lado e ouvi: _Nunca desista da sua vida, por mais difícil que seja é a coisa mais preciosa que existe então, viva ela o tempo todo, não desperdice um minuto sequer e não se esqueça que tudo tem seu tempo e que Deus sabe o tempo correto de cada fato que acontece. Sua amizade foi a mais intensa e maravilhosa que já tive em todos esses anos. Você foi um anjo que Deus mandou para ficar ao meu lado, enquanto ele cuidava da minha família para eu cumprir minha missão e ir embora. Não chore quando eu for, pois estarei indo ao encontro de pessoas que eu amo e jamais me esquecerei da sua amizade, vou ficar ao seu lado em todos os momentos. Após a sua última palavra, seus olhos fecharam e o que eu não queria que acontecesse aconteceu. Ele foi ao encontro da sua amada família.
Antes de ir pediu que eu cuidasse da sua clínica, com todo o amor que ele cuidou enquanto estava vivo.
Hoje está completando dois anos da sua morte, ainda sinto falta, mas sei que ele está o tempo todo comigo, dentro do meu coração.
Lembra da missão que ele sempre dizia que tinha e que com certeza era sozinho? Então, essa missão era dar sentido a minha vida. Aquele dia que o encontrei na praia eu é quem procurava ajuda e tentei ajudá-lo. Se não tivesse o encontrado aquele dia, não seria tão feliz como sou hoje. Cuidando da clínica de reabilitação para pessoas que tem ou tiveram câncer. O sonho que ele tinha e que deu sentido a minha tão dolorosa a monótona vida.
Termino essa história fictícia, lembrando-os, que Deus tem o tempo certo para tudo e para todos. Ele sabe o que faz o que pode acontecer na vida de cada um. Talvez um fato ruim seja a porta de entrada para uma reviravolta e aquelas pedras que estavam na frente do seu caminho, podem se transformar em flores lindas e perfumadas. Então nunca desista da sua vida nem dos teus sonhos. Nada é impossível, basta ter Fé naquilo que se quer e tudo acontece.


Uma passagem pelo paraíso

Assim como todos os seres vivos, nós nascemos, crescemos e morremos, alguns param no meio do caminho, sem poder desfrutar da vida mais alguns instantes. O tempo passa tão rapidamente, que às vezes nem vemos a vida passar. Estamos preocupados com o que vai ser de nós amanhã e esquecemo-nos de viver. Um espaço tão curto, tão pouco tempo e não sabemos aproveitar.
Reclamamos por tudo e todos. Um exemplo básico é o trabalho, se uma pessoa não está trabalhando, reclama constantemente, pedindo que Deus lhe dê um emprego, ao invés de aproveitar a ocasião e tentar relaxar um pouco, então começa a trabalhar, o certo seria agradecer e aproveitar a oportunidade de ter conseguido tal emprego, mas não, uma semana ou duas, se passam e lá está ele reclamando novamente, mas reclamando de estar trabalhando, diz que não gosta do emprego, que trabalha demais e por aí vai, então pede pra Deus lhe ajudar a encontrar um novo emprego, o indivíduo encontra outra fonte de renda, uma semana se passa e começa tudo de novo, só que agora se lamenta por ter saído do antigo trabalho. E assim vai. O ser humano não sabe aproveitar as oportunidades, não olha o mundo com bons olhos, reclama da vida de olhos fechados. Esquece que enxergamos colorido e vê apenas preto e branco e assim ele vai vivendo, esquece que estamos aqui na Terra apenas de passagem e que a vida é uma só para ser desperdiçada. Temos que aproveitar os momentos, viver com intensidade, se está trabalhando em algum local, se dedique ao que faz, faça a diferença, se destaque, viva os momentos; Se faz uma viagem, se divirta, se aventure, faça coisas inusitadas, não prive sua felicidade e não fique pensando nos afazeres, nos problemas que tem em casa. Aos pais, se preocupem com os filhos, mas deixe-os viver, deixe-os ver como é a vida com os olhos do mundo e não os prive de sentir medo, arrependimento, tristeza, dor, esses sentimentos fazem parte da vida, quem não os sente, não vive. A felicidade é encontrada nos piores e melhores momentos, basta vermos com o coração.
Feliz é aquele que aproveita a vida sem ter medo de errar, que vive intensamente cada minuto, fazendo o que tem vontade. Se preocupe menos e viva mais, viva o hoje, o ontem é passado, o amanhã se tornará também, você quer que seja mais um dia, sem significado algum? Eu não! Então acorde todos os dias e dê bom dia ao sol, dê bom dia à chuva, aproveite cada instante, eles são únicos, nunca, jamais um momento, um segundo, um dia vai se repetir, a vida não se repete, ela é única, e se não aproveitarmos ela como tem que ser jamais poderemos vivê-la novamente. Então VIVA.



quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Impossível? Talvez!

Meus olhos se fecham 
Nas noites silenciosas 
Seu rosto surge sozinho 
Sorrindo suave 

Os teus cabelos pretos 
Reluzem aos meus olhos 
E a boca... Ah! Sua boca. 
Ela me chama, 
Convidando a experimentar o seu beijo 

Seu corpo é lindo 
Forte e alto 
Talvez nem tanto, 
Mas aos meus olhos 
É perfeito 

Caminhando passa por mim 
O sorriso era para outra 
Acho que sou transparente! 
Não, não. Tinha me esquecido, 
Estava sonhando!

Por Mariane N. Souza

Paraíso

Ouço pássaros cantando 
Saudando a mãe natureza 
Batem as asas e saem voando 
Alastrando sua beleza 

Distante a cachoeira 
Presenteia-nos com a água límpida e cristalina 
Sento à sua beira 
Observando as pedras, lindas maestrinas. 

O céu azul com vento soprando 
Completam a realidade 
Esfrego os olhos. Acho que estou sonhando! 
Mas não, era realidade.

Por Mariane N. Souza

Refeições do fim de semana


No meu café da manhã 
Como um omelete de gramática 
Com suco de ortografia natural

No almoço 
Estrogonofe de palavras 
E de sobremesa
Um delicioso musse de pontuação 

Já meu café da tarde 
É um pouco mais leve 
Um suco de sílabas naturais 
Acompanhado do alfabeto 

Na hora de jantar 
Procuro não abusar 
Como um livro grelhado 
Acompanhado de sopa de letrinhas 
Dessa vez, sem sobremesa 

Antes de deitar 
Leio um pouquinho 
Para relaxar 
E abaixar a refeição do dia

Por Mariane N. Souza


O rio que desce

Ao longe um barco levando embora o alicerce de uma família sofrida. Vidas que vão junto com o vento soprando as ondas que fazem no rio, carregando em seu lombo mais um. 
Há alguns dias ele brincava junto às crianças e hoje desce o rio dentro de uma embarcação deixando saudade, lágrimas e tristeza. É possível ouvir gritos e berros de dor. Dor que corrói internamente perfurando o coração daqueles que ficaram. 
Mas a vida é assim ninguém sabe o dia de ir embora. Como todos dizem a vida é um mistério, mas a morte é ainda maior.

Por Mariane N. Souza


Ódio do desejo

Sobre a mesa vejo frutas, derrubadas após um briga. Briga de dois amantes, separados pelo ódio que nasceu no coração daqueles que juntos foram felizes durante muito tempo. 
No chão, pratos quebrados, despedaçados pela dor de duas vidas em vão. Na parede branca era possível ver as marcas da raiva, do desespero, da tristeza e decepção. 
A cozinha tinha seus móveis bagunçados, cadeiras caídas e quebradas, talheres por todos os lados. O que estava acontecendo? Amores sinceros que se perderam no mundo da desilusão. 
Há rastros pela casa, em direção ao quarto, roupas pelo chão com marcas de desejo mescladas ao ódio e a pressa para amar. A porta do quarto silencioso está aberta, sobre a cama um casal apaixonado, dormindo abraçados, esperando o dia amanhecer e apagar o que aconteceu na noite anterior.

Por Mariane N. Souza

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Livros de cabeceira

Livros de cabeceira
São os meus favoritos
Até nas noites de sexta-feira
São meus melhores amigos

Por Mariane N. Souza



Brilho

Procuro nas estrelas
O brilho do passado
E o significado do futuro

Por Mariane N. Souza

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Incógnita

Em uma estação ferroviária um homem com um livro em mãos, aguarda para o embarque no próximo trem. De repente um estrondo. O homem para e olha. Em sua direção um projétil, correr não adianta. Tudo para, o mundo para. O trem que vinha estagnou. A bala está chegando, girando com toda força. A bala cai, o livro também. No peito uma batida, a última do coração, de olhos abertos deitado no chão gelado, dá seu último suspiro. Tudo volta ao normal, o trem passa. Ninguém por perto, só uma sobra detrás da coluna, que também se vai. Só restou o livro aberto na página 27, com o título: Um judeu na Alemanha.

Por Mariane N. Souza

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Palavras em dia de chuva

Os dedos que aqui digitam, são os mesmos que secam as lágrimas e as gotas de chuva que pingam sobre a mesa. Os olhos que aqui enxergam são os mesmo que veem as árvores balançarem com o vento e transbordam quando sentem o coração partido. A boca que aqui fala é a mesma que chama por nomes singelos e ao mesmo tempo fortes como o trovão que corre atrás dos clarões e raios que caem. Os pés que por aqui andam são os mesmos que se vão nas tardes chuvosas e voltam nas manhãs quentes. As palavras aqui escritas são as mesmas que no coração habitam, pela boca são pronunciadas, pelos olhos são lidas, pelos dedos dão digitadas e pelos pés pisoteadas.

Por Mariane N. Souza

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Para onde foi a poesia?

Hoje estou travada
Não consigo poetizar
Na minha cabeça não surge nada
Preciso me libertar

Não sei se é o calor
Ou porque hoje, estou irritada
Não sai poesias de amor
Nem mesmo de madrugada

Penso em palavras bonitas
Ou pessoas que me inspiram
Mas tudo me deixa aflita
Minhas ideias piram!

Nem os filmes que assisto
Fazem-me refletir
E as músicas que escuto?
Minha cabeça irá fundir!

Tento olhar para o tempo
E poesias idealizar
Mas o meu pensamento
Parece que quer parar

As palavras correm da minha mente
Insisto, persisto, mas é difícil
Vejo que surge algo e fico contente,
Mas some mais rápido que um míssil

Até mesmo a pontuação
Tem medo do meu papel
O ponto de exclamação
Não trabalha nem mesmo ‘pro’ céu

A vírgula insiste em não separar
Minhas perguntas estão sem interrogação
Não sei mais o que esperar
Estou sem saída nessa situação

O que me resta é o ponto final
E com ele irei finalizar
Reticências também é usual,
Mas deixa muito a desejar

Então finalizo
Esperando que hoje acabe depressa
Pra que amanhã me volte o juízo
E as palavras cheguem em remessa.

Por Mariane N. Souza

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

No gingado do seu corpo

No reflexo do sol vejo um corpo moreno molhado, saindo da água exibindo seus músculos e cor perfeita, a cada balançar de cabeça gotas d'água cristalinas caem do cabelo, descendo lentamente pelo rosto, pescoço, tórax... Observo-te de longe, enquanto sacio minha sede sentada em uma cadeira na mesa de frente à piscina. Ao vê-lo se preparando para mergulhar, fixo meus olhos analisando sua figura máscula. Ao redor pessoas falam, o som é alto, cheiro de comida tudo misturado, mas nada me incomoda, o momento agora é nosso, minha mente era sua. Você a controlou por algumas horas. Passei o dia ali a te observar, quando vi já passara quatro horas, ganhei uma tarde, sei descrever cada traço do seu rosto, movimento da sua boca, cada suspiro fora d’água... Então, ao vê-lo sorridente sair da piscina com o corpo pingando vindo em minha direção, levanto e saio me despedindo do sol e das pessoas que como eu sonharam de olhos abertos.

Por Mariane N. Souza

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Dias de sol

Dias de sol
Quentes e sufocantes
Só valem a pena
Ao lado de pessoas brilhantes

Os raios que na nossa pele batia
Refletiam a nossa diversão
E a alegria que na hora se via
Só acontece entre amigos do coração

Brincadeiras e gargalhadas
Mesclada a uma despedida
Em uma tarde maravilhada
E que jamais será esquecida
Por Mariane N. Souza

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Adeus

O dia amanheceu. Era chuvoso. As nuvens escuras e misteriosas tapavam o sol e o deixava sem respirar, com apenas alguns dos teus raios brilhantes para mostrar que ainda era dia. Um homem. Um banco. Uma esfera. Uma dimensão. Em seu pensamento as estrelas fugiam, o sol as assustava. Seu pensamento era turbulento. Os olhos se mantiveram fechados o tempo todo. Uma perna sobreposta à outra e os braços sob a cabeça. Descansar em um banco, deitado, sentindo o vento e os pingos de chuva cair sobre seu corpo, num sono profundo? Não! Se despedindo do mundo, do vento, das nuvens, do sol, das estrelas, das árvores, das gotas de chuva... O sentinela chega, um último adeus. Um estrondo, depois o silêncio, cabeças baixas. Logo chegaram as aves catartídeas. Agora tudo acabou, o dia escureceu ainda mais, as aves terminaram e foram embora. A alma já havia encontrado seu caminho. A ossada se decompôs e, só, restou na lembrança o último Adeus.
Por Mariane N. Souza

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Bom Dia

Bom dia sol
Bom dia céu
Bom dia dia

Bom dia flores
Bom dia casas
Bom dia amores
Bom dia fadas

Bom dia folhas
Bom dia animais
Bom dia cores
Bom dia aos pais

Bom dia sorriso
Bom dia alegria
Bom dia amigo
Bom dia, bom dia

Bom dia manhã
Bom dia madrugada
Bom dia maçã
Bom dia cocada

Bom dia menino
Bom dia menina
Bom dia dançarino
Bom dia dançarina

Bom dia Professor
Bom dia Astronauta
Bom dia senhor
Bom dia internauta

Bom dia aos leitores
Que com o sol acordou sorrindo
Hoje ouvi rumores
De um ótimo dia que está vindo

Tenham um dia cheio de alegria
Afinal de contas
Hoje é um lindo diiia...

E bom dia e bom dia e bom dia...

Por Mariane N. Souza


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Pegadas

No dia a dia tu me faz falta. Ainda ouço seus passos, espirros e suspiros.
Durantes esses anos foi você quem me trouxe a mais pura alegria .
Foi você que por todo este tempo ganhou carinho sem hipocrisia.
Constantes devaneios me fazem fugir da realidade e me levam aos seus primeiros anos de vida.
Quando você ainda pulava e assustava com seus latidos. 

Por Bárbara Lima

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Estive em Aparecida e lembrei-me de você

Quem nunca recebeu uma lembrança de Aparecida do Norte dizendo: Estive em Aparecida, lembrei-me de você? Pois é nos últimos dias quem esteve em Aparecida fui eu e tenham certeza, lá realmente lembramo-nos das pessoas, amigos... Estar em Aparecida é diferente de todo e qualquer lugar, tem a beleza do turismo e a pureza da Fé. O ar é suave, as pessoas simples e simpáticas, não se importam com roupas muito menos como você fala, estão sempre sorrindo lhe dando bom dia, boa tarde... Nas ruas barracas e mais barracas, penduricalhos por todos os lados, badulaques, lembranças, claro que também há lojas mais requintadas, de portas com vidros e tudo mais, entretanto onde mais encontramos gente são nas barracas amontoadas e cheias de chaveiros, imagens, brinquedos...
Nas noites os turistas e moradores ficam pela Praça da Igreja mais antiga ou então no shopping perto da Igreja mais nova. Essa, a mais nova, é enorme e tem os quatro lados iguais, da mesma forma em que foi construída em uma parte as outras também foram, sendo ela simetricamente perfeita. Dentro da Igreja há salas por todos os lados, uma das mais espetaculares é a Sala das Promessas onde famílias deixam fotos de amigos, parentes, conhecidos que receberam o milagre da cura. O clima no local é pesado, não que seja algo ruim, mas arrepios surgem, ao ler algumas das histórias ao lado de manequins que os devotos deixam lá para compartilhar da Graça recebida, uma emoção muito grande invade o coração de quem também acredita na Mãezinha. Enquanto passava pelos objetos, réplicas da Santa, da Igreja, de caminhões e carros, pelas muletas, mãos de cera, cabeças de cera, vitrines com fotos de capas de CDs da ex-dupla Sandy e Junior, CDs do cantor Leonardo, do rei Roberto Carlos... camisetas do jogador de futebol Ronaldo, réplicas da imagem de Nossa Senhora que foram apresentadas em novelas, aquela que o Renato Aragão carregou durante uma caminhada de São Paulo até Aparecida do Norte, 170 km, 7 dias andando, entre vários outros símbolos de devoção de artistas e desconhecidos. Na Igreja tem também uma torre conhecida como Mirante, onde subimos de elevador 16 andares para observar a cidade lá de cima, é o ponto mais alto da cidade, um pouco abaixo do Mirante, no 2º andar da mesma torre tem o Museu, local onde ficam guardadas imagens encontradas e criadas por devotos da Santa, há imagens da década de 20, intactas e surpreendentes. Lembram da história de um senhor queria entrar na Igreja a cavalo e quando o animal relinchou para adentrar o local as patas grudaram ao chão? Nessa sala, a pedra em que aconteceu está conservada e, também, intacta. Além da corrente arrebentada pelo escravo em outra história, também contada. Histórias de Fé que unem nações.
A parte externa da Igreja é enorme, por todos os cantos tem imagens e estátuas que embelezam o lugar, além de jardins, monumentos... Um dos corredores na parte externa tem a Santa encontrada no rio Paraíba pelos pescadores. A verdadeira. Multidões passam pelos pés da Mãe Protetora e choram por sentir sua presença, ao tocar seus pés. Por todos os lados que olhamos vemos devotos derramando lágrimas, o que faz com que, também, nos emocionamos ao sentir que Nossa Senhora Aparecida lá está.
As missas são sensacionais, os bancos dos quatro cantos da imensa Igreja ficam lotados, além dos que ficam em pé para assistir ou pelo menos ouvir e adorar a Mãezinha querida. Uma miscigenação de pessoas unidas por um só objetivo, adorar Nossa Senhora e agradecer pela graças recebidas.
A cidade é feita de reflexão, montada com tijolinhos de Fé e finalizada com a benção de Deus Pai e Nossa Senhora Aparecida.
Por Mariane N. Souza

Sentimentos ocultos

O que hoje me apavora
É o medo do futuro
O que antes era aurora
Hoje me aventuro

No início o amanhã
Era cintilante
Agora a luz foi embora
Deixando apavorante

Cinco noites no escuro
Não explicam esse medo
É um lado inseguro
Conhecido como negro

Se o sobrenatural existe
Culpo o por tudo isso
Que me deixa tão triste
Desorientado e abafadiço

Se pudesse fazer um pedido
Pediria minha infância
Para não me sentir perdido
Nesse mundo de ignorância

Por Mariane N. Souza



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...