Translate

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

... Até o fim...

Quando pequeno era feliz, jogava futebol, sonhava, subia em árvores, pulava na cama, normal como toda e qualquer criança, porém um dia enquanto corria para pegar a bola que escapara e rolara para a rua, um carro em alta velocidade fez com que esses sonhos se desmoronassem. A família correu para o hospital, desesperados. O médico leva para a sala de cirurgia, e todos na sala de espera aflitos, andando de um lado para o outro, de repente vem o médico, de cabeça baixa e diz: _ Seu filho está bem, a cirurgia foi um sucesso! Todos choravam e agradeciam-no por ter salvado a vida do garoto, lágrimas caíram, sorrisos apareceram, preces foram feitas e agradecidas. Duas semanas depois ele teve alta, contudo não foi só, levara uma companheira para o resto da vida, a cadeira de rodas. Sim, o garoto ficou paraplégico, jamais voltaria a andar, uma semana depois teve as duas pernas amputadas, o carro as esmagara era a única solução, ou as pernas ou o menino. 
O tempo passou, agora ele tinha 18 anos, tocava em uma banda de rock, pintava, desenhava, era um completo artista. Sem mencionar a linda voz que suavizava as melodias. Era um exemplo. Estava no curso superior, cursava Artes. Um garoto lindo e nada o fazia parar nem mesmo a cadeira de rodas. Com 21 anos terminou a faculdade e junto com ela descobriu uma doença que atrofiava os nervos das mãos. O céu desabara sobre sua cabeça mais uma vez. Dois anos de tratamento, mas as mãos jamais voltariam a ser como antes, contudo lá estava ele, tocando, cantando, sorrindo e vivendo. Com 28 anos, após 1 ano de namoro casou-se. Ele, agora, era palestrante, além de tocar, cantar, desenhar e ser professor de música. No dia do seu aniversário de 35 anos descobriu um câncer no cérebro, um ano depois faleceu. Deixando no ventre da esposa um bebê de 6 meses. 
Assim fora sua vida, linda, cheia de obstáculos, porém aproveitado cada segundo. Nem mesmo um iceberg o seguraria. Obstáculos foram aventuras usufruídas, aceitas e ultrapassadas. Cada passo um desafio, cada desafio ultrapassado até o fim.

Mariane N. Souza


Início do fim

Sombrio como o céu escuro
Forte como o vento
Incerto e Inseguro,
Mas um lindo sentimento

Sorriso e simpatia
Alegria e compreensão
Esquenta nas noites frias
E clareia na escuridão

Vive no fundo de onde não há fim
Mora entre o certo e o errado
Fazer o que, ele é assim!
Meu inimigo e aliado

Assim continuaremos seguindo
Até onde existir vida
Quem sabe vai diminuindo
Até o dia da Despedida 

Mariane N. Souza


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Medo de amar

Hoje estou triste
Triste com o mundo
Triste com as pessoas
Triste com o amor

Acredito no sentimento
Que envolve o ser humano
Desde o nascimento
Até um ato insano

Mas no amor é diferente
Sofremos demais
Tudo acontece na mente
Porém o coração é quem sofre mais

A busca pela felicidade
É algo irreal
Ninguém ama de verdade,
Pois não existe o principal

Pode até existir,
Mas ainda não conheço
Tenho medo de sentir
E não ser o que mereço

A Paixão já nasceu em mim
Ainda vive, mas escondida
Por ser um sentimento ruim
Porque não fui correspondida

Tenho medo do futuro
Não sei se me reserva amores
Às vezes fico em cima do mundo
Porque sei que ele trás muitas dores

Sou covarde para o amor,
Mas no fundo queria conhecê-lo
Sei que a felicidade também gera dor,
Mais que medo e o desespero.
Mariane N. Souza

sábado, 20 de agosto de 2011

Eles estão entre nós

Quem nunca ouviu falar em Psicopatia? Distúrbio mental grave caracterizado por um desvio de caráter, ausência de sentimentos, frieza, insensibilidade aos sentimentos alheios, manipulação... Não confunda sociopatia com psicopatia. Os psicopatas não se importam em passar por cima de todos e tudo para alcançar seus objetivos, são egocêntricos e narcisistas, não sentem remorso, muito menos culpa.
Quando estamos em alguma festa ou algum lugar, conhecemos pessoas diferentes, que agem e se comportam de formas singulares, porém conhecemos, apenas, seu lado artificial. Aquele rapaz extrovertido, simpático, agradável, gentil, charmoso que você conheceu naquela festa pode não ser o que você pensa. Hoje ele é uma pessoa maravilhosa, amanhã alguém detestável, que não pensa duas vezes para te prejudicar. Assim são os psicopatas, se algo ou alguém ameaçam seus planos, eles se tornam agressivos, repulsivos. Além de serem mestres em se tornar vítimas, viram o jogo sem ao menos o “escolhido”, por eles, perceber.
Agora vem a pergunta, como surge um psicopata, é algo genético, uma doença? Na verdade há estudos que demonstram que pessoas que tiveram uma infância repleta de violência e com uma família desestruturada, podem chegar a cometer crimes graves contra a vida. Ou seja, podem se tornar verdadeiros predadores sociais, existe também fatores genéticos, fatores próprios de cada indivíduo e fatores de ordem social que quando somados, podem levar à psicopatia.
E como saber se a pessoa é ou não um psicopata? É sempre bom desconfiar de pessoas que se apresentam de forma sedutora, com idéias mirabolantes, sempre muito agradáveis. Eles se aproveitam de mulheres quase sempre muito bem colocadas profissionalmente, prometem mundos e fundos, enfim, ganham a confiança da vítima. Geralmente esses impostores somem no dia seguinte sem deixar nenhum vestígio. Coisa parecida acontece nos casos de estupradores e assassinos seriais.
É de extrema importância, saber ao certo quem é a pessoa com quem você se relaciona ou que você coloca dentro da sua casa, como um amigo ou amiga, é importante lembrar que internet é uma forma de psicopatas agirem. Cuidado com redes sociais, não passe endereço, não conte sobre sua vida para ninguém, esteja sempre em alerta, nunca se sabe quando um psicopata pode atacar. Eles são incrivelmente espertos e inteligentes. Sempre desconfiar de pessoas, ditas “perfeitas”, perfeição não existe, a não ser em ficção. Por isso tome muito cuidado porque eles estão entre nós.
Mariane N. de Souza


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

"Psicopatia" paterna

Há anos era comum o progenitor matar o filho que nascia com algum tipo de deficiência. Muitas crianças foram enterradas vivas após o nascimento, várias tribos indígenas utilizavam esse método para que os filhos que nasciam com algum tipo de problema não sofressem durante o crescimento. Com o tempo esses casos foram diminuindo até serem extintos, porém o que existe nos dias atuais é muito mais aterrorizador, é comum encontrar pais que matam os próprios filhos por motivos absurdos, como no caso de uma moça de 18 anos que foi assassinada por um pistoleiro contratado pelo pai, o qual ajudou a matar a própria filha. E o motivo? Pensão, o progenitor se recusava a pagar pensão à filha.
O que está acontecendo com o mundo? Para onde foi o amor que existia entre pais e filhos, aquele vínculo do nascimento e do mesmo sangue? Até onde vai esse tipo de selvageria?
Renato Russo já dizia na letra da música pais e filhos “...é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...” Onde está esse amor que ouvimos nas músicas, que lemos nos textos? No nosso mundo atual reina o sadismo, o dinheiro, o status. Aquela família estruturada, com pai que chora ao ver o nascimento do filho, que passa a gravidez inteira junto com a esposa escolhendo nomes, comprando brinquedos, roupas, sonhando com o dia que a criança chegará ao mundo, não existe, momentos como esses só fazem parte dos sonhos das pessoas que sabem o valor de um filho.
A cada minuto há muitas crianças sendo violentadas e mortas, principalmente por familiares. Anjos que não tiveram a sorte de sentir o sabor de viver. Essa semana mesmo, uma garota de 12 anos foi estuprada pelo pai, onde o mesmo preferiu morrer ao ser preso um homem de 32 anos foi encontrado morto no mesmo lugar onde estuprou a filha pela primeira vez. É impossível desvendar a mente de alguém que consegue colocar a cabeça no travesseiro e descansar sabendo que abusou de alguém do mesmo sangue, ainda mais do seu filho.
Homens insanos, com atos medonhos, em um mundo desumano. Esse é o prazer de ser pai? Essa é a forma como os homens veem a paternidade? O que se passa por trás da mente desses “psicopatas”, por que agirem dessa forma? São filhos, crianças que estão no mundo porque eles mesmos colocaram.
Filho não é brinquedo, não é algo sem valor. Filhos são riquezas, são vidas, são anjos que veem ao mundo para dar sentido à vida dos pais. São eles que fazem o triste ficar alegre, que com três palavras faz seu coração pulsar, seu sorriso aparecer e a vontade de viver aumentar. Filhos precisam de carinho, atenção e não maus tratos, agressões e mortes.
Mariane N. de Souza





domingo, 14 de agosto de 2011

Enquanto vivo, penso!

Enquanto escrevo penso em tudo, no mundo, nas pessoas, nos momentos. Penso em quantos passam fome enquanto outros reclamam por não ter sobre a mesa aquilo que deseja, alguns jogam no lixo o que alimenta uma família. Penso em quantos passam frio, sem blusas, cobertores enquanto outros reclamam por terem recebido de presente, algum agasalho que não lhe agradou. Penso em quantas crianças estão nascendo e mães jogando-as nos rios, matando-as, deixando em latas de lixo. Vidas em vão... enquanto outras estão chorando e se lamentando por não terem um filho ou não poderem engravidar. Penso em quantos procuram um emprego, “catam” lixo para sustentar suas famílias enquanto outros esnobam seu trabalho, reclamando por ganharem um salário mínimo. Há famílias que sobrevivem com menos de R$ 50,00 mensais. Penso em quantos choram por filhos mortos, crianças que perdem pais, famílias que sofrem com perdas em meio à destruição em massa produzida pelo homem, através de atos violentos nesse mundo desumano enquanto outros brincam com o medo das pessoas. Penso em quantos choram para não estudarem, brigam para não irem à escola e outros trabalhando, lamentando... por não terem a oportunidade da alfabetização. Penso em quantos estão jogados à sarjeta, implorando por um mísero prato de comida, um emprego, uma blusa ou até mesmo atenção enquanto outros reclamam do que tem e esnobam, como se não fosse nada.
Penso em como o ser humano é fútil e em como reclamamos sem precisão. Penso que pensar é o único ato verdadeiro nessa imensidão de injustiças.
Mariane Souza


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Como esquecer os amores impossíveis?

Não sei por qual motivo, mas hoje eu me sinto muito cansado, muito fraco, muito feio e muito triste. Sempre possui uma grande esperança de encontrar e viver um grande amor, mas com o tempo essa minha esperança foi sendo desmanchada aos poucos, e hoje resta tão pouco que é preciso um grande esforço para encontrá-la dentro de mim.
Me lembro de quando mais jovem ter tanta força e otimismo, e acreditar fielmente que amar e ser amado era uma coisa possível. Mas os anos acabaram arrancando de mim essa força, apagando a chama que eu tinha em mim, e agora, apesar de ter 30 anos, me sinto como se tivesse 90. É como se inevitavelmente eu fosse me tornando aos poucos uma estátua de pedra, sem capacidade de acreditar na felicidade e no amor.
Já não sei responder a pergunta proposta. Já não sei se tenho tanta força, já não sei mais se quero continuar procurando. Hoje me sinto tão cansado, tão feio, tão insignificante, tão inútil, que nenhuma palavra de consolo poderá enxugar minhas lágrimas no escuro.
Alguns podem me dizer que o amor sempre aparece, que tudo acaba dando certo. Pode até ser. Mas hoje, em minha caverna escura, com meus 90 anos e minha coleção de frustrações e abandonos, acho que não tenho forças para acreditar nisso. Pode ser que o amor ainda aconteça, mas hoje não acredito. Pode ser que eu ainda seja feliz, mas hoje não acredito. Pode ser que haja luz um dia, mas hoje eu não acredito.
Hoje me sinto tão fraco que sinto que posso até chorar assistindo alguma novela mexicana. Me afundo nesse lamaçal, enquanto a pessoa amada sorri, e indiferente, nem lembra que existo.
Sei que nesse instante ninguém pode me consolar. Sei que nesse instante estou sozinho com minha dor. Sei que nesse instante nem mesmo “eu” tenho a certeza se existo.
Talvez daqui a algum tempo eu consiga me reerguer, limpar a poeira a tanto tempo acumulada, e recomeçar, e re-acreditar na felicidade. Mas hoje, nesta noite, eu me sinto muito fraco, muito triste, muito sozinho, para ficar sonhando com dias felizes e com um amor puro e sem máculas.
E para você que leu esse texto até aqui, desejo que encontre seu amor, e que nunca sinta esse mesmo abandono e invisibilidade que sinto hoje. E que você tenha dias de sol e esperança, esperança para recomeçar. E apesar de todos os desenganos e sofrimentos, que você consiga encontrar alguém que te ame mais do que tudo, e que esteja ao seu lado te apoiando, te dando carinho, te dando paz, sentindo a beleza e a realização, até os 90 anos.
André Zagreu 


Aos queridos e únicos pais

Não há algo melhor que estar ao lado dos filhos, cuidar, brincar, pegar no colo, estar sempre junto. Os filhos crescem, os momentos passam, mas o amor que os pais sentem jamais acaba, não importa idade, muito menos distância.
Pai é sinônimo de bondade e respeito, segurança e proteção... O infinito “é pequeno” quando diz respeito ao amor de pai. Ele sempre está lá quando mais se precisa, não reclama quando pedimos ajuda, não esquece um aniversário, nem o dia que o filho aprendeu a andar, o primeiro balbucio e os primeiros rabiscos. Pai que é pai vive para os filhos têm autoridade utilizando da bondade.
Nos dia dos pais presenteie seu pai, não com uma meia, uma gravata, um perfume, um celular, mas sim com um abraço, um beijo, um dia ao lado dele, um EU TE AMO. Presentes acabam e palavras, principalmente com sentimento, são eternas e ficam para sempre marcadas no coração daquele que jamais deixará de te amar.
Mariane Souza



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Triste Inverno

Vejo a chuva em preto e branco, assim é meu sentimento em relação ao inverno,
Nostalgia, misturada a uma cor cinza
Que me embrulha o estômago e me faz sentir presa dentro de mim
Nuvens negras fora de casa e dentro do coração
Lama nas ruas e lama nos sentimentos Que sei que irão secar 

Com o sol que há de chegar Assim que o inverno acabar
Miriam Silvério


Relapsos da Vida Perfeita

O sol se pondo no horizonte, em um lugar tão lindo e silencioso que dava para ouvir o barulho da estrela que queima tocar na água límpida e calma do rio.
No céu as estrelas já estão aparecendo, elas dançam, junto com a lua que com elas vem sorrindo, o vento que bate balança a copa das árvores fazendo um contorno incrível nesse lugar tão especial. O coração pulsa mais forte diante de tanta beleza que irradia.
No rio um casal de cisne, passeando com seus filhotes. As flores voam junto com o vento que as toca de norte a sul, deixando no ar um aroma maravilhoso.
Momentos como esse são únicos e inexplicáveis. Reflexão, apenas ela nos acompanha nessas horas de tanta calmaria nas noites de brisa leve que faz nossa mente girar num sonho recheado de lindos pensamentos e sentimentos profundos.
Mariane Souza



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...